felipefonseca's blog

Momentos

Uns dias perto do mato, enquanto o fim do mundo insistia em não acabar. Bom perceber que algumas coisas continuam, mesmo que um pouco transformadas na superfície - a entrada da trilha, a curva na mata fechada, a correnteza leve do ribeirão, o eco da saudação a Oxóssi. O sol que passa entre as folhas da mata atlântica. O ano de 2012 foi cansativo e difícil, e a virada para 2013 foi muito rápida. Ainda assim, consegui relaxar pelo menos um pouquinho.

No retorno de Cunha a Ubatuba, a pequena se sentiu mal em algum ponto da estrada de Lagoinha. Paramos ali para ela ficar um pouco em pé, caminhar... uma tempestade se anunciava. De repente, um relâmpago muito próximo - a impressão foi de quase simultaneidade entre o raio e o estrondo. Talvez o mais perto que já tenha passado. Algo de elétrico no ar. Voltamos ao carro rapidinho.

Passando agora alguns dias em Ubatuba, ainda tentando encontrar um jeito pacífico e não muito oneroso de devolver o apartamento de Campinas e me estabelecer de vez aqui no litoral. Nossos quartos estão prontos, o ambiente parece propício apesar de dificuldades esperadas. Além disso, alguns lances em outras partes do mundo estão aparecendo para 2013. Seguindo...

Otariado digital

Meio ano atrás, publiquei isso numa dessas redes sociais proprietárias do capeta. Achei agora por acaso, e jogo aqui no blogue pra registro. A situação continua acontecendo, senão comigo com colegas.

uma mistura de vários trampos recentes...

---

14 dias antes

- cê tá livre pra um evento/palestra/trampo daqui a duas semanas?
- tô sim.
- então me manda URGENTE essa ficha preenchida: nome completo, rg, cpf, todos teus telefones, endereço com CEP, time de futebol, comida predileta, tipo sanguíneo, data que perdeu a virgindade, cor preferida, e de preferência preenche também os campos opcionais.
- mas precisa tudo isso?
- é pro jurídico.
- ok.

-----

12 dias antes

- preciso também que cê me mande esse termo de cessão de direitos de imagem, propriedade intelectual e um pedacinho da alma para o resto da eternidade.
- é?
- sim, é pro jurídico.
- e tem que ser hoje?
- claro, pra gente agilizar teu pagamento, né? talvez a gente consiga pagar até uns dias antecipado.
- ah, legal. envio daqui a pouco por email.
- não não, tem que ser assinado e com firma reconhecida.
- hm, entendi. bom, vou agilizar e mando por correio.
- sedex 10, pra garantir.
- sedex 10, ok.

---leia mais >>

Alugar apartamento em Campinas - procuro inquilino!

Procuramos inquilinxs para apartamento de dois quartos em Campinas. Peço ajuda dxs leitorxs para encontrar interessadxs. Se quiserem, me procurem. Segue abaixo a história completa.

No começo de 2012, logo após começar o mestrado no Labjor, comecei a procurar um lugar para morar em Campinas. Ubatuba fica longe demais para ir e voltar toda semana. Minha companheira e minha filha (e a cocker) viriam junto, então tínhamos algumas condições: precisávamos de algum lugar com dois quartos, amigável para crianças e cachorros. Também precisava ser um lugar suficientemente seguro: as meninas ficariam sozinhas enquanto eu estivesse na Unicamp, e também viajaríamos bastante - às vezes por mais de três semanas. Outras condições eram ter alguma infraestrutura por perto, para poder fazer coisas a pé ou de bicicleta, ser bem iluminado e ter lugar para guardar o carro.leia mais >>

Silêncio

Eni Orlandi – O silêncio não fala, ele significa. Se você fizer o silêncio falar, ele vai significar diferente. Ele significa por ele mesmo, ele faz sentido, e isto é muito importante. Às vezes mais importante que as palavras. Significar com palavras é diferente de significar com silêncio. Há o silêncio que é a própria respiração do sentido. A gente pode estar em silêncio e estar significando. E também, muitas vezes, você fala certas coisas para que outros sentidos não apareçam. Isso é o silenciamento. Mas o sentido silenciado não desaparece. Porque o homem tem necessidade vital de significação. Onde ele não pode significar, migra para outros objetos simbólicos.

Aqui.

TV Pochmann - Cidades digitais, etc.

Nesta quarta-feira (24/10) vou participar de um debate sobre cidades digitais na TV Pochmann, junto com Sergio Amadeu e Rafael Evangelista. A transmissão é ao vivo e pela internet, no fim da tarde - provavelmente a partir das 19hs. Aqui:

http://www.marcio13.com.br/tvpochmann/

Na minha pauta pessoal, que espero tocar:

Jabá, parte 1: celular Galaxy Nexus

Aproveitei a ida aos EUA pra trazer uns brinquedinhos para vender. Trouxe duas coisinhas só: um smartphone Galaxy Nexus (que já está rodando o Android 4.1 Jelly bean), e um tablet Galaxy 7 polegadas student edition. Tô começando a muambagem jogando o celular em leilão no Mercado Livre. Semana que vem eu mando ver o tablet, e na sequência também vou vender meu laptop Thinkpad x100e. Interessadxs, apareçam!


Smartphone de última geração

Perfeito para experimentar e usar a versão mais recente (e oficial) do Android!

Smartphone comprado na semana passada nos EUA. Sem uso - só abri para me certificar do funcionamento do aparelho, e acabei atualizando o sistema operacional para Jelly Bean (a versão mais nova do Android). Esse é o telefone oficial do Google, vem com os recursos mais recentes do Android (na versão pura, conhecida como "Vanilla" - sem modificações de fabricantes ou operadoras), e deve continuar recebendo todas as devidas atualizações no futuro.

Tamanho: 13,5 x 6,7 x 0,89 cm. Peso: 135g.leia mais >>

Eleições

Antes de mais nada, reafirmo aqui minha posição: a democracia representativa é cheia de falhas e inconsistências. Imaginar que uma pessoa consiga "representar" a minha opinião em qualquer assunto é uma ilusão. Pretender que alguém passe quatro anos discutindo, propondo e trabalhando de forma que reflita o que seria minha opinião sobre temas diversos é impossível. Vejo com bons olhos as iniciativas que propõem experimentações com democracia direta, democracia líquida e afins (alguns exemplos disso, aqui) - mesmo não acreditando que sejam um elixir milagroso, e observando que essas experiências parecem entender a política como um processo de decisão sobre alternativas dadas. Eu acho que a política é um lance muito mais profundo, de construção de alternativas, busca de consensos mesmo que temporários, e articulação entre oportunidades dadas em determinados contextos e momentos históricos.

Feitas as devidas ressalvas, volto minha atenção para este ano de 2012, ano de eleições municipais. Como já comentei em um artigo recente, existe atualmente uma tensão bastante grande a respeito de modelos de cidades - de um lado a cidade de cima-para-baixo, submissa aos interesses empresariais do setor imobiliário, estimulando a prevalência dos espaços privados e controlados, nos quais vivem pessoas individualistas, consumistas e obedientes; do outro lado a cidade dinâmica, orgânica, desenvolvida em uma escala humana, habitada por uma população diversa, livre, dinâmica, criativa. Não preciso dizer qual dos dois modelos eu prefiro.leia mais >>

Jabá: livro com desconto!

E o Clube de Autores, site-editora-virtual onde lancei meu livro, está de novo em época de descontos. Só essa semana, a versão impressa do meu livro está custando pouco mais de 22 pilas. Quem comprar a partir de 11 cópias ao mesmo tempo (pra sua escola, amigxs, inimigxs) tem descontos. Vai lá, encomenda logo!

(naturalmente, pra quem não tem reais a compartilhar, o livro continua disponível para download e acesso em múltiplos formatos, aqui)

Ah, se eu pudesse...

Coisas que eu gostaria de fazer, mas me faltam tempo e/ou dinheiro:

  • Reformular o site lixoeletronico, dando evidência aos posts mais importantes, questões frequentes e referências consolidadas. Estruturar melhor informação sobre consultorias e projetos especiais;
  • Transformar o protótipo da ZASF em um dispositivo funcional e fácil de usar. Poderia até virar um produto acessível pra vender para projetos que vejam utilidade nisso;
  • Escrever ficção gambipunk tecnomágica;
  • Compilar um segundo livro, com (quase) todos os meus textos publicados na plataforma Arquivo Vivo (revistos e ampliados);
  • Organizar um evento de alto nível sobre cidades, coisas e pessoas para nivelar o tipo de conversa que tem rolado sobre IOT e afins aqui no Brasil;
  • Planejar e produzir um curso sobre tecnologia livre e meio ambiente pra acontecer em janeiro em Ubatuba.

Mas do jeito que andam meu relógio e meu saldo bancário, isso tudo vai ficar pra depois :P

Modo ranzinza

Temporada do serviço ruim.

Uma das primeiras coisas que eu providenciei na chegada a Campinas foi o acesso à internet. Me falaram bem sobre o virtua, vi uma promoção e liguei lá. No telefone a atendente me disse que se eu contratasse tv, internet e telefone, ganharia alguns meses de desconto e um roteador, "de graça". Topei. No dia que vieram instalar, o técnico configurou uma rede cujo essid era o número do meu apartamento. Perguntei pra ele qual era a senha de admin do roteador. Ele ficou mudo. Perguntei de novo, e nada. Achei que era surdo, deixei pra lá. No fim, ele me disse que a senha era a que estava escrita no papel. Entendi que aquela era a chave WPA. Perguntei sobre a senha do roteador, ele disse que era a mesma.

Assim que ele saiu, fui lá tentar acessar. Descobri que ele tinha me enganado: nenhuma combinação possível de usuário e senha conseguia entrar na porcaria de roteador que eles me deram (um "multilaser", supostamente funcionando no padrão wireless N). Em vez de fazer um hard reset e começar do zero, resolvi usar daquele jeito mesmo por algum tempo. Percebi que duas ou três vezes por dia, a rede simplesmente parava de funcionar. Algumas noites depois, de passagem pelo Carrefour para comprar fraldas e um microondas, vi um roteador TP-Link por setenta pilas. Não era padrão N, mas em uma conexão doméstica com poucos clientes o G costuma dar conta. Levei, em duas vezes.leia mais >>