eventos

Ensaio Tropixel

O post abaixo foi agregado por RSS. Link original
---

Com o objetivo de continuar e aprofundar as colaborações que surgiram a partir da realização do festival Tropixel em outubro passado, estamos elaborando uma programação mais focada e em pequena escala. São os Ensaios Tropixel, dedicados a desenvolver ideias e concretizá-las. A primeira edição acontece no fim de semana de 5 e 6 de abril, aqui em Ubatuba, e será realizada em parceria com o Labmovel. Saiba mais sobre o Ensaio Tropixel #1 e participe!

http://tropixel.ubalab.org/ensaio/abril14
 

Com o objetivo de continuar e aprofundar as colaborações que surgiram a partir da realização do festival Tropixel em outubro passado, estamos elaborando uma programação mais focada e em pequena escala. São os Ensaios Tropixel, dedicados a desenvolver ideias e concretizá-las. A primeira edição acontece no fim de semana de 5 e 6 de abril, aqui em Ubatuba, e será realizada em parceria com o Labmovel. Saiba mais sobre o Ensaio Tropixel #1 e participe!http://tropixel.ubalab.org/ensaio/abril14  

Partiu Tropixel

O post abaixo foi agregado por RSS. Link original
---

Produzir o festival Tropixel tem sido uma jornada incrível. O ritmo se intensificou nos últimos dias. Tenho feito jornadas extensas (ontem mesmo comecei às oito e quinze, e ainda não parei agora, quase duas da manhã de um novo dia). Além da comissão organizadora do festival que me acompanha, quase toda à distância, há meses, agora a Malu Andrade também chegou para somar. Hoje de manhã a Carolina Striemer me acompanhou pela cidade colando cartazes, e à tarde nossa filha me acompanhou por aí, negociando, conversando com as pessoas, chamando cada vez mais gente.

leia mais >>

Festival Tropixel

O post abaixo foi agregado por RSS. Link original
---

Já faz aproximadamente três anos que tenho buscado articular ações concretas entre o contexto local de Ubatuba e um sem-número de referências contemporâneas sobre reflexão e prática transformadoras. Nesse meio-tempo conheci bastante gente, testei ideias, provoquei algumas questões. Desde quando comecei a articular o ubalab como esporo de cultura digital, já me perguntava sobre a viabilidade e relevância de pensar algum evento em Ubatuba ligado ao que então eu chamava de "cultura livre". Vieram o encontrinho do MutGamb e o encontrão Hipertropical da MetaReciclagem. O primeiro era uma reunião de trabalho, restrita ao grupo de pessoas responsável pelo MutGamb. O segnundo já ensaiava um movimento mais aberto, mas era ainda um encontro de rede, de pessoas que já se conheciam e compartilhavam - mesmo que com enorme diversidade - uma série de referências e anseios. Por mais que fosse um evento aberto à participação, da perspectiva da cidade ele se colocava como uma construção autorreferente.

Encontrão Hipertropical de MetaReciclagem

Nesse meio-tempo, continuei observando e acompanhando tanto os ritmos da cidade quanto os circuitos mundo afora. Participei de mais alguns eventos. Fiquei curioso e esperançoso com o que me parece uma mudança de orientação com a nova administração municipal. Testemunhei feliz o alto nível de participação nas conferências municipais e eventos similares.leia mais >>

Oficinas - Rádio e Mapas

O post abaixo foi agregado por RSS. Link original
---

Publicando alguns resultados das oficinas de Rádio e Mapas que desenvolvemos na Semana de Educação de Ubatuba:

Programinha de rádio "Ubatuba Sim - Como Assim?" falando sobre a onda de frio na cidade. Fotos da oficina de Mapas digitais, abaixo (veja mais no Set Ubalab do Flickr).


Publicando alguns resultados das oficinas de Rádio e Mapas que desenvolvemos na Semana de Educação de Ubatuba: Programinha de rádio "Ubatuba Sim - Como Assim?" falando sobre a onda de frio na cidade. Fotos da oficina de Mapas digitais, abaixo (veja mais no Set Ubalab do Flickr).

Oficinas Ubalab

O post abaixo foi agregado por RSS. Link original
---

Eu e Jorge Miguez estamos ministrando duas oficinas na Semana de Educação de Ubatuba, que acontece nos próximos dias na Escola Municipal Tancredo Neves. Uma oficina é sobre mapeamento digital, propondo maneiras de utilização da cartografia experimental como ferramenta de educação, problematização social e conscientização política. A outra oficina é sobre rádio digital, com foco no ambiente escolar.

Eu e Jorge Miguez estamos ministrando duas oficinas na Semana de Educação de Ubatuba, que acontece nos próximos dias na Escola Municipal Tancredo Neves. Uma oficina é sobre mapeamento digital, propondo maneiras de utilização da cartografia experimental como ferramenta de educação, problematização social e conscientização política. A outra oficina é sobre rádio digital, com foco no ambiente escolar.

Transmediale 2014

O post abaixo foi agregado por RSS. Link original
---

Tá no ar a chamada por trabalhos para a edição de 2014 do Transmediale. Os temas são bem conhecidos por aqui:leia mais >>

Sincronizando...

O post abaixo foi agregado por RSS. Link original
---

Ubatuba, 2013. Não só um lugar, também um tempo. Por uma série de motivos nossa cidade costuma ser descrita ou como anacrônica ou como atemporal. Em outras palavras: algumas pessoas acreditam que Ubatuba parou no tempo, está atrasada em relação ao ritmo que se esperava dela. Já outras imaginam que ela vive em uma dimensão na qual o tempo não corre, impassível ao que acontece no restante do mundo. Essas duas interpretações têm um sério efeito paralisante. Se o caminho está traçado mas a cidade está atrasada, de onde viria a energia extra para impulsioná-la a recuperar o tempo perdido? Por outro lado, se ela vive fora do tempo, como é que a crença na mudança pode sequer existir?

A boa notícia é que essas duas visões estão obviamente equivocadas. Ubatuba é mais uma cidade contemporânea, que vivencia contradições e dificuldades como tantos outros lugares do Brasil e do mundo. Uma cidade que fez escolhas que tiveram consequências. É definitivamente contemporânea, e tem certamente a possibilidade de transformar-se. A questão é: mudar para onde? O que queremos? Quais os caminhos possíveis?

É com o objetivo de afirmar a contemporaneidade da cidade que o núcleo Ubalab propõe o desenvolvimento do Ciclo Ubalab, focado na fronteira entre Arte, Ciência, Tecnologia e Sociedade. Estamos convidando pessoas do Brasil e de outros países, com experiências variadas em diversos campos do conhecimento, para conversar e trabalhar. Mais do que encontrar respostas concretas e imediatas (aquelas que sempre parecem insuficientes ou inexequíveis), queremos exercitar a imaginação, sincronizando passado e presente para buscar futuros melhores para a cidade.leia mais >>

Sursouth

O post abaixo foi agregado por RSS. Link original
---

Vou participar em algum momento dessa semana da programação remota do Sursouth, esforço remoto que está dentro do ISEA deste ano, em Sydney. Mais no site do Sursouth.

Vou participar em algum momento dessa semana da programação remota do Sursouth, esforço remoto que está dentro do ISEA deste ano, em Sydney. Mais no site do Sursouth.

Semana da Mata Atlântica

O post abaixo foi agregado por RSS. Link original
---

No description

Pixelache - Helsinque, Finlândia

O post abaixo foi agregado por RSS. Link original
---

No fim do ano passado, a plataforma Pixelache abriu chamada para receber propostas de programação para a edição de 2013 do festival de mesmo nome que acontece no mês de maio. Articulei um plano de participação junto à rede bricolabs, e fomos selecionadxs.

O evento acontece entre Helsinque, na Finlândia, e a ilha Naissaar, ao lado de Tallinn, na Estônia. O tema deste ano é "facing north/facing south". Com esse mote, a rede bricolabs posicionou-se de maneira crítica em relação ao sentido usualmente reconhecido das iniciativas de "cooperação internacional". Em geral, espera-se que o norte ofereça conhecimento, recursos e produtos; enquanto o sul entra com mão de obra, recursos naturais e mercados consumidores. O que sugerimos é que, dentro dos temas que nos dizem respeito, esse movimento não segue sempre a mesma direção. Trouxemos à discussão a imagem das redes profundamente ressonantes - nas quais a localização de cada integrante é somente um dos elementos que surgem, e nem de longe o mais importante. Consigo pensar em um monte de exemplos em anos recentes de ações efetivamente colaborativas que subvertem o sentido desses fluxos. Outro tema que surgiu, como também em outros projetos em que estou envolvido atualmente, foi a ideia de colaboração antidisciplinar. Na verdade, vejo um paralelo entre a colaboração ressonante (que ignora fronteiras geográficas) e a antidisciplina (que ignora fronteiras disciplinares). Tenho tentado escrever sobre isso, vamos ver se as coisas aparecem.leia mais >>